Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 31/10/2017

Brasília, 31 de outubro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Os mercados domésticos foram basicamente influenciados no dia pela frustração da expectativa sobre a aprovação da reforma da Previdência e pelo quadro político instável. No ambiente internacional, investidores optaram pela cautela diante dos últimos acontecimentos no cenário político e da expectativa antes da definição do nome do presidente do Banco Central norte-americano.

Bolsa: O dia foi de queda para o Ibovespa com investidores reagindo à piora na percepção em relação à aprovação da reforma da Previdência e o quadro político interno. A baixa foi conduzida pelas ações dos bancos, ao passo que as ações da Vale e da Petrobras se mantiveram em terreno positivo. O índice encerrou o dia aos 74.308 pontos, com recuo de 0,66%.
Juros: Após o forte movimento de alta de ontem, os DIs encerraram a sessão em baixa na ponta curta da curva e estáveis nos vencimentos mais longos, refletindo uma maior tranquilidade no mercado de moedas e economias emergentes e a ausência de notícias negativas no front político. A ata do Copom não mudou a percepção já dada no comunicado de que o ritmo de corte da taxa básica tende a ser reduzido na próxima reunião. Ao final da sessão o DI Jan/19 valia 7,27%, de 7,33% no fechamento anterior. O DI Jan/21 saiu de 9,19% para 9,18%.
Dólar: A moeda norte-americana oscilou ao longo da sessão basicamente refletindo a pressão técnica de investidores "vendidos" em contratos cambiais para forçar a baixa da última taxa Ptax de outubro. Em segundo plano, porém no radar dos investidores, estiveram as incertezas acerca da reforma da Previdência ainda este ano e a cautela em virtude do noticiário político nos EUA. O dólar encerrou o dia em baixa de 0,51%, a R$ 3,27.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.