Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 29/11/2017

Brasília, 29 de outubro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: A dificil articulação política para tratar da reforma da previdência deixou o mercado altamente volátil durante todo o dia. Declarações do relator do projeto da reforma sobre não haver quantidade de votos para aprovação da matéria provocaram movimentos não só na bolsa mas também no mercado de câmbio e juros.

Bolsa: Depois de passar a maior parte dos negócios rondando a estabilidade, a Bovespa perdeu força e inicia a tarde em território negativo, em meio ao noticiário desanimador sobre o principal foco dos mercados locais: a reforma da Previdência. O IBOV fechou em queda de 1,94% na mínima do dia.
Juros: Os juros acompanharam o dólar mais cedo, que ganhou força de maneira generalizada após a divulgação de que o PIB dos EUA avançou à taxa anualizada de 3,3% no terceiro trimestre, mostrou a segunda estimativa do dado, em linha com a expectativa dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal e mais forte em três anos e é uma revisão em alta da estimativa inicial, de 3,0%. O DI Jan/19 fechou em 7,11% e para Jan/20 passou de 8,42%.
Dólar: O mercado está protegendo posições diante da incerteza política atual rondando a reforma da previdência, essa demanda fez subir os valores após uma sequencia de quedas. O dólar para fecha em alta de 0,96%, a R$ 3,2450.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.