Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 27/10/2017

Brasília, 27 de outubro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Especulações em torno de um novo nome para a presidência do Banco Central americano pressionaram o dólar para baixo. A possibilidade é de assumir Jerome Powell, que possui um perfil voltado à diminuição de juros com o objetivo de estímulo de empregos. Esse quadro ofuscou as publicações de balanços de grandes empresas norte-americanas e o resultado do PIB do terceiro trimestre do país, fazendo com que o dólar, que teve máxima de R$ 3,30, fechasse em R$3,24, recuando em mais de 1%. No Brasil, o mercado voltou a avaliar a governabilidade de Temer para aprovar medidas e reformas.

Bolsa: Fechando um ciclo de duas semanas consecutivas de queda, a bolsa fechou praticamente estável, com alta discreta de 0,1%, sem a recuperação prevista diante das perdas de ontem. O destaque do dia foram as ações da Petrobras acompanharam a alta do barril de petróleo internacional . Espera-se que o início de recuperação do mercado e das empresas brasileiras com maior estabilização política, a publicação dos balanços trimestrais do Itaú nesta segunda e do Bradesco na quarta.
Juros: O alívio da pressão do dólar visto na ontem trouxe a correção dos valores pra hoje. Essa pressão fez com que as taxas, que começaram o dia para cima e mantiveram durante um período do pregão, acompanhassem o movimento do dólar marcado pela redução de posições vendidas. No fim da sessão estendida, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 fechou em 7,29% e a do DI para janeiro de 2020 caiu de 8,43% para 8,35%.
Dólar: Em dia volátil, a moeda norte-americana, que tocou a máxima de R$3,30. Incertezas nos nomes esperados para o Banco Central Americano, bem como a expectativa de melhorias no cenário político nacionalo números para aprovações de reformas reduziu o valor da moeda no curto prazo. No mercado à vista, o dólar fechou em queda de 1,24%, aos R$ 3,2437. O giro financeiro somou US$ 1,024 bilhão. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,2417 (-1,30%) e na máxima, R$ 3,3032 (+0,56%).

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.