Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 27/02/2019

Brasília, 27 de fevereiro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Em linha com o movimento aguardado para o leilão do banco central (total de USD 3 bilhões) o dólar encerrou em baixa de forma diversa do que foi observado no mercado externo. Externamente pesaram sobre a moeda americana e também sobre os mercados o temor quanto a desaceleração da economia global e a dificuldade do se chegar a qualquer acordo comercial entre EUA e China. Com a proximidade do feriado de carnaval que também posterga qualquer avanço da proposta de reforma e articulação política os juros futuros e a B3 acompanharam a moeda americana em um dia de movimento fraco.

Bolsa: Sem qualquer avanço político da reforma da previdência e puxado pela baixa em mercados internacionais a bolsa fecha o dia em queda de 0,3% aos 97.307. Essa queda é alinhada com outros mercados internacionais emergente e mesmo nas bolsas americanas. Pelo cenário externo era esperado uma queda maior na B3, porém a alta do petróleo suavizou a queda com a alta da Petrobrás em 1,88% nas ações preferencias e 0,52% nas ações ordinárias.
Juros: As notícias fracas em relação à reforma da previdência, expectativa de amanhã para a divulgação do PIB do quarto trimestre em um número também fraco e a perspectiva de manutenção da SELIC no patamar atual sem nada que faça uma pressão inflacionária no curto prazo fizeram com que os contratos futuros fossem fechados próximos da estabilidade em 6,46%, de 6,48% para janeiro 2020 e uma queda mais acentuada para 2021 de 7,08%, ante ao 7,132% de ontem.
Dólar: Em um dia bastante técnico, o dólar caminhou de forma diferente de outras moedas emergentes amparado pelo leilão do banco central. Neste dia a moeda se posiciona para os contratos oficiais do BC e os operadores que apostavam na queda da moeda atuaram fortemente para fazer valer sua posição fazendo com que o dólar fechasse em queda de 0,4% aos 3,7302, o valor menos em uma semana.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.