Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 26/06/2018

Brasília, 26 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O destaque do dia foi a leitura da ata do Copom de que o cenário básico é de manutenção da Selic em 6,50% ao ano. O documento também deixou clara a opção de não passar indicações sobre as próximas decisões a respeito da Selic. Lá fora, preponderaram as preocupações com disputas comerciais e em dados dos Estados Unidos.

Bolsa: A bolsa doméstica oscilou entre altas e baixas tendo sua fragilidade ligada à falta de novidades no front local e o volume negociado mais baixo nos últimos dias diante da Copa do Mundo e também a agenda esvaziada e falta de quórum no Congresso. O índice encerrou o dia em alta de 0,64%, aos 71.404 pontos.
Juros: Os juros futuros fecharam em baixa, descolados do movimento do dólar, que hoje avança contra o real, renovando máximas na última hora. O alívio das taxas reflete a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) que confirmou a leitura feita pelos economistas do comunicado da reunião da semana passada, de que o cenário básico do Banco Central é de manutenção da Selic em 6,50% ao menos na próxima reunião. O DI jan/19 fechou a sessão regular em 6,92%, de 7,00% da véspera. O DI Jan/21 fechou em 9,39%, de 9,54%.
Dólar: O dólar abriu em alta refletindo as preocupações com o embate comercial entre EUA e China, mas inverteu o sinal ao longo da tarde precificando um tom ameno da ata do Copom, que apoia um recuo dos juros futuros desde cedo. Entretanto, ao longo do pregão, o tom de cautela no ambiente internacional prevaleceu e a moeda americana encerrou o dia cotada em R$ 3,79, em alta de 0,57%.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.