Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 26/02/2019

Brasília, 26 de fevereiro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Declarações amenas do Presidente do FED para o senado americano fizeram com que os investidores movimentassem o mercado externo, ainda que com baixo volume de operações, mas sem impacto no mercado interno que fechou praticamente estável para todos os itens observados nesse cenário. A aprovação do indicado à presidência do BCB, Roberto Campos, em tom de continuidade dos trabalhos puxou positivamente as taxas de curto prazo, porém ainda é aguardada a articulação política do governo para a aprovação da reforma das aposentadorias para sinais mais fortes nos indicadores econômicos.

 

Bolsa: Fechando em alta de 0,37% aos 97.602 a bolsa caminhou mais fraca com baixa liquidez, compensando as perdas de ontem e aguardando sinais mais concretos da reforma da previdência. O mercado externo também em ritmo lento ajudou a bolsa local a manter a alta no patamar observado.
Juros: O evento mais importante para o mercado de juros hoje foi a aprovação de Roberto Campos Neto pelo CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do senado para ocupar a presidência do BC. Em tom ameno e de continuidade, o discurso e a aprovação do nome foi recebida com tranquilidade pelo mercado que fechou para 2020 em 6,48%, de 6,46% de ontem e a taxa para 2023, que reflete melhor a expectativas fiscais de longo prazo encerrou em 8,24%, de 8,212% do ajuste anterior.
Dólar: Em mais um dia de estabilidade o dólar fechou em leve alta de 0,04%, a R$ 3,745. Não só a falta de novas notícias sobre a reforma como a expectativa do leilão da moeda americana pelo BC, que será feita amanhã, fez com que o mercado aguardasse hoje por novas posições.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.