Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 25/06/2018

Brasília, 25 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O dia foi de cautela para os mercados internacionais em virtude do tom protecionista do presidente dos EUA, Donald Trump, que agora ameaça com restrições a investimentos da China em empresas de tecnologia americanas. Internamente, a agenda foi fraca e o destaque ficou por conta da retirada da pauta do STF do pedido da defesa do ex-presidente de liberdade.

Bolsa: Mesmo com um mercado internacional mais cauteloso, a Bovespa conseguiu encerrar o dia com valorização. O ganho refletiu a recepção positiva dos agentes à retirada do pedido de liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da pauta de amanhã do STF. O Ibovespa encerrou o dia em alta de 0,44%, aos 70.952 pontos.
Juros: Os DIs ampliaram o ritmo de queda e renovaram mínimas na última hora da sessão regular. O movimento foi influenciado pela baixa do dólar ante o real diante das atuações do BC por meio dos leilões de linha. Outro fator que respondeu pela queda das taxas foi a retirada da pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) do pedido de liberdade do ex-presidente Lula. O DI Jan/19 encerrou o dia em 6,99%, de 7,04% no ajuste anterior. O DI Jan/21 encerrou em 9,54%, de 9,72%.
Dólar: A retirada do pedido de liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da pauta de amanhã do Supremo Tribunal Federal (STF), por decisão do ministro da Corte Edson Fachin a pedido do TRF-4, somada ao leilão de linha com recompra de até US$ 3 bilhões, das 15h15 às 15h20, se sobrepuseram às tensões comerciais externas e levaram o dólar a encerrar o dia em baixa ante o real. A divisa fechou valendo R$ 3,77, em queda de 0,09%.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.