Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 25/05/2018

Brasília, 25 de maio de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Postura defensiva continua após o não cumprimento do acordo para o fim da greve dos caminhoneiros. Investidores especulam sobre o tempo de duração da paralisação e reforçam a percepção de fraqueza do governo Temer. Lá fora, a atenção esteve voltada para a Espanha, onde o governo do premiê Mariano Rajoy sofre pressão para renunciar.

Bolsa:  A cautela predominou nos negócios no dia de hoje. O imbróglio que se tornou a paralisação dos caminhoneiros provocou uma onda de vendas antes do fim de semana ratificada pela desvalorização forte de commodities como petróleo e minério de ferro. O Ibovespa encerrou o dia em queda de 1,53%, aos 78.897 pontos.
Juros:  O dia foi de alta no mercado de juros futuros nesta sexta-feira. O movimento refletiu a cautela do investidor com as perspectivas de longo prazo para o Brasil, diante da crise de combustíveis e das eleições. O DI Jan/19 encerrou o dia a 6,67%, de 6,62% na véspera. O DI Jan/23 subiu para 10,29%, de 10,13% no ajuste.
Dólar:  O dólar voltou a operar em alta, pelo segundo dia consecutivo, em meio ao mau humor persistente e generalizado dos investidores locais e do exterior. O principal catalisado para o fortalecimento da divisa foi a percepção de aumento do risco fiscal das contas públicas decorrente da fraqueza demonstrada pelo governo Temer no acordo com alguns representantes de caminhoneiros. A moeda americana encerrou o dia em alta de 0,64%, valendo R$ 3,66.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.