Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 25/02/2019

Brasília, 25 de fevereiro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Com um cenário externo estável, o mercado interno foi marcado pela dificuldade de articulação do governo Bolsonaro para a tramitação da reforma da previdência. O presidente da câmara dos deputados Rodrigo Maia declarou que espera atraso na composição da CCJ uma vez que a base do governo ainda não se organizou para o processo. Essa cautela foi o tom final da moeda americana e dos juros futuros mesmo que discretamente.

Bolsa: Com a mesma instabilidade observada durante o dia a bolsa fechou em queda de 0,66% aos 97.087 pontos com perdas acentuadas na Petrobras (1,58%) puxada pela declaração de Trump quanto ao preço do petróleo no mercado internacional.
Juros: As taxas que passaram o dia fazendo apenas ajustes finalizaram com a resposta à expectativa de atraso da reforma da previdência e da dificuldade de articulação da base de Bolsonaro. O DI para janeiro de 2020 fehcou em 6,47% ante aos 6,44% do ajuste anterior. O DI janeiro 21 fechou em 7,12 ante aos 7,051% do pregão anterior.
Dólar: Dos indicadores observados o dólar é o que teve o impacto da dificuldade de articulação do governo mais atenuada fechando em leve alta de 0,08%, a R$3,7437 apesar de ter caído ante a moeda de outros países emergentes como Turquia e Argentina. Especialistas acreditam que a moeda deve seguir variando em até R$ 0,05 do preço atual até a avaliação da reforma da previdência para que os investidores externos possam voltar ao mercado nacional.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.