Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 24/10/2017

Brasília, 24 de outubro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: A valorização da bolsa e do dólar, além da alta das taxas de juros no mercado doméstico, respondeu a um conjunto de fatores nesta jornada. A cautela em relação ao placar de votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, amanhã, e com a definição do nome que presidirá o Federal Reserve foi balanceada pela perspectiva de andamento do corte de impostos nos EUA, que aumentou o apetite por risco no mercado acionário global.

Bolsa: O Índice Bovespa engatou um movimento de recuperação e anulou praticamente todas as perdas da véspera, ao subir 1,24% nesta terça-feira, aos 76.350,19 pontos. A melhora foi patrocinada pelo mercado externo, animado por balanços corporativos e perspectivas de aquecimento econômico global.
Juros: Os juros futuros de longo prazo voltaram a exibir avanço pela terceira sessão consecutiva nesta terça-feira, de agenda esvaziada de indicadores e noticiário também fraco, mas no fechamento dos negócios a alta era bastante moderada. No fechamento da etapa estendida, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 encerrou em 7,27%, de 7,26% no ajuste anterior. A taxa do DI para janeiro de 2021 terminou em 8,93%, de 8,91%.
Dólar: O dólar fechou em alta ante o real pelo quinto dia consecutivo diante de uma cautela dos investidores tanto com a questão política interna quanto com a perspectiva de alta de juros nos EUA em meio a incertezas em torno de quem será o novo presidente do Federal Reserve (Fed). No mercado à vista, o dólar fechou em alta de 0,54%, aos R$ 3,25.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.