Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 21/06/2018

Brasília, 21 de junho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O mercado teve como principais fatores domésticos o resultado do IPCA-15 do mês de junho, acima do esperado e a reação pós decisão do Copom em manter a Selic estável em 6,50%. Lá fora, a cautela com o comércio global e sinais negativos da política europeia prejudicaram o apetite por risco nos mercados internacionais.

Bolsa: Na bolsa, as ações da Petrobras caíram em torno de 6%, com o mercado atento ao julgamento da maior ação trabalhista contra a empresa, que pode trazer prejuízo em torno de R$ 15 bilhões à companhia. A Bovespa deu uma pausa na trajetória de recuperação e encerrou o dia em queda de 2,82%, aos 70.074 pontos.
Juros: A virada do dólar, que passou a cair após a segunda intervenção do Banco Central no mercado de câmbio no meio da tarde, trouxe algum alívio à curva de juros, cujas taxas de médio e longo prazo desaceleraram o ritmo de alta no fechamento da sessão regular. A ponta curta, por sua vez, encerrou entre a estabilidade e leve queda, refletindo os ajustes à decisão e ao comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom). O DI Jan/19 ficou praticamente estável. O DI Jan/21 subiu de 9,67% para 9,74%.
Dólar: A moeda americana respondeu ao Copom em alta, refletindo o incômodo de alguns agentes, segundo os quais o BC já deveria ter dado alguma indicação mais firme quanto à possibilidade de uma elevação num cenário de riscos econômicos e políticos, além dos externos, mas inverteu a posição ao longo do dia com o leilão do BC. O dólar encerrou o dia em queda de 0,20%, valendo R$ 3,76.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.