Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 20/12/2017

Brasília, 20 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Os investidores conciliaram referências externas e expectativas domésticas nesta jornada, o que resultou em um pregão com desempenho misto. A bolsa se destacou com ganhos associados à valorização das ações de commodities, enquanto nos juros o movimento foi de alívio, corrigindo a alta exagerada das últimas sessões. No câmbio local, a divisa oscilou entre altas e baixas moderadas.

Bolsa: O Índice Bovespa apoiou-se em aspectos positivos dos cenários interno e externo e subiu 0,94% nesta quarta-feira, aos 73.367,03 pontos. A redução da alíquota do depósito compulsório impulsionou as ações de bancos, enquanto a expectativa de aquecimento econômico nos EUA, a partir da reforma tributária, favoreceu papéis de siderurgia, mineração e energia em todos os mercados. Apesar do viés positivo durante todo o dia, o volume de negócios voltou a ficar abaixo da média e somou R$ 6,5 bilhões.
Juros: O dia foi de alívio nos juros futuros, que mostraram trajetória de queda desde o período da manhã e com aceleração do movimento à tarde quando bateram mínimas. Embora o noticiário tenha sido intenso nesta quarta-feira, profissionais da renda fixa não destacaram nada em específico a conduzir a trajetória descendente, atribuindo o ajuste de baixa a uma correção ante o avanço, para alguns exagerado, das taxas nas últimas sessões e a fatores técnicos. O DI Jan/19 encerrou em 6,89%, de 6,90% no fechamento anterior. O DI Jan/21 caiu de 9,36% para 9,25%.
Dólar: O dólar encerrou o pregão desta quarta-feira com leve alta, na contramão do movimento da moeda no cenário internacional. Parte da explicação é que hoje era o último dia para as empresas fazerem remessas de lucros e dividendos para o exterior antes do recesso de fim de ano - já que a liquidação ocorre em dois dias úteis. É por isso, inclusive, que o giro da sessão foi relativamente alto, de US$ 2,421 bilhões. "Se alguém deixou para depois, vai pagar uma taxa mais cara", afirma Alessandro Faganello, operador da Advanced Corretora. O dólar à vista fechou com alta de 0,12%, a R$3,29.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.