Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 20/04/2018

Brasília, 20 de abril de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Noticiário interno contou com a divulgação do IPCA-15, abaixo da mediana das expectativas do mercado (+0,21% ante expectativa de +0,25%) e o saldo do Caged de março que confirmou a tese de que a recuperação econômica transcorre muito lentamente. No ambiente externo, destaque para a discussão entre o presidente dos EUA e a OPEP sobre a possibilidade do preço do petróleo estar “artificialmente alto” no mercado.

Bolsa: A bolsa doméstica teve um dia de baixa seguindo o comportamento de seus pares no exterior e a mudança de tendência dos preços das commodities que interromperam o rali dos últimos dias. Pesa ainda a cautela dos investidores estrangeiros em virtude da possibilidade de que o Federal Reserve acelere o ritmo de elevação nas taxas de juros nos EUA devido ao forte avanço registrado nos preços das matérias primas. O Ibovespa encerrou o dia em queda de 0,32%, aos 85.550 pontos.
Juros: Os DIs foram basicamente influenciados pelo resultado do IPCA-15 divulgado hoje. O número abaixo da mediana das expectativas do mercado ratifica o cenário tranquilo de inflação e reafirma a expectativa de corte de 0,25 pp na próxima reunião do Comitê de Política Monetária. O DI Jan/19 encerrou o dia em 6,21%, ante 6,23% do dia anterior. O DI Jan/21 fechou a 7,87%, de 7,91% no ajuste de ontem.
Dolar: No mercado de câmbio, pesou a valorização generalizada da moeda norte-americana no exterior, em meio às perdas das commodities e à possibilidade de o ciclo de alta dos juros americanos se intensificar. O dólar encerrou o dia com valorização de 0,54%, valendo R$ 3,40.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.