Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 19/12/2017

Brasília, 19 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O dólar e o mercado de juros se destacam nesta jornada em meio à cotação da reforma tributária nos Estados Unidos. Desde cedo, a negociação para votar a proposta que reduz impostos nos EUA sustenta valorização da moeda norte-americana e alta dos juros dos Treasuries, com menor demanda por ativos de proteção. Já o mercado acionário passou por realização de lucros após o expressivo avanço de ontem. Esse movimento foi observado tanto em Wall Street como nos índices na Europa e pegou também a bolsa brasileira, que recuou durante toda a jornada.

Bolsa: Depois de dois pregões consecutivos de ganhos, o Índice Bovespa perdeu fôlego nesta terça-feira e fechou com baixa moderada, de 0,60%, aos 72.680,36 pontos. O viés negativo, que se estendeu por praticamente todo o pregão, refletiu a influência negativa das bolsas de Nova York e um desconforto com o noticiário doméstico, que gerou temores de rebaixamento do rating brasileiro e aumento de impostos. O volume financeiro foi fraco, totalizando R$ 6,8 bilhões, bem abaixo da média diária de dezembro, de R$ 11,5 bilhões.
Juros: Os juros futuros de longo prazo se firmaram em alta durante a tarde, alinhados ao avanço do rendimento dos Treasuries, que renovaram máximas ao longo da sessão vespertina, puxando as máximas das taxas também no Brasil. A influência externa pegou o mercado doméstico já desconfortável com o noticiário fiscal, após a derrubada de artigos da Medida Provisória (MP) 805/2017, que adiavam em um ano o reajuste do funcionalismo público e aumentavam a contribuição previdenciária de servidores que ganham mais de R$ 5,5 mil, de 11% para 14%. Já as demais taxas encerraram perto da estabilidade. O DI Jan/19 fechou estável em 6,92%. O DI Jan/21 avançou de 9,30% para 9,33%.
Dólar: A aprovação da ampla reforma tributária na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos deu gás adicional ao dólar na sessão desta terça-feira. A moeda oscilou no terreno positivo a maior parte da tarde, mas perto do fechamento inverteu a tendência e encerrou a sessão com recuo de 0,10%, a R$ 3,29.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.