Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 18/12/2017

Brasília, 18 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Mercado doméstico teve um dia positivo, basicamente influenciado pelo bom humor dos investidores no exterior. O apetite por risco lá fora teve como foco a possibilidade cada vez mais concreta de aprovação da reforma tributária nos EUA. Internamente, com a votação da reforma da Previdência deslocada para fevereiro, os agentes seguem monitorando os movimentos do ministério da Fazenda em relação às agências de rating para evitar um rebaixamento antes desse novo calendário.

Bolsa: O Ibovespa subiu amparado por ganhos em papeis de commodities e do setor financeiro. O otimismo em relação ao andamento das negociações para a votação da reforma tributária nos EUA propiciaram ganhos nas bolsas de Nova York, o que também contribuiu para o dia positivo no ambiente doméstico. O Ibovespa encerrou o dia em alta de 0,70%, aos 73.115 pontos.
Juros: Os juros futuros de longo prazo se firmaram em leve alta no final da sessão desta segunda-feira, em meio à aceleração do rendimento dos Treasuries, que renovaram máximas, refletindo o aumento da expectativa de aprovação da reforma tributária nos Estados Unidos. Até o meio da tarde, tanto os juros longos quanto os de médio prazo alternavam altas e baixas discretas. No fechamento, os vencimentos de prazo intermediário fecharam perto da estabilidade. O DI Jan/19 encerrou o dia em 6,93%, de 69,94% na véspera. O DI Jan/21 passou de 9,29%, para 9,31%.
Dólar: O dólar à vista operou em queda ao longo de todo o dia refletindo um mercado mais calmo e devolvendo parte da alta das últimas semanas. O movimento também seguiu o comportamento da divisa no exterior. A moeda norte-americana encerrou o dia em queda de 0,35%, valendo R$3,29.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.