Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 18/05/2017

Brasília, 18 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Mercados reagiram com nervosismo ao noticiário doméstico, que tornou o quadro polítco ainda mais instável e tende a comprometer todo o quadro econômico do país, ao menos no curto prazo. O ambiente externo contribuiu para o clima de aversão ao risco, com as incertezas em torno da gestão de Donald Trump nos EUA.

Bolsa:  O mercado de ações viu ressurgir a figura do "circuit breaker"no pregão de hoje. O índice chegou a cair 10,7%, levando à interrupção das operações por 30 minutos. A Bolsa encerrou o dia aos 61.597 pontos, em queda de 8,8%, a maior em um único dia desde 22 de outubro de 2008, última vez que o circuit breaker havia sido acionado.
Juros:  O nervosismo com as tensões acerca do Planalto contaminou o mercado de juros futuros. Os DIs encerraram o dia com taxas nos limites da oscilação máxima. O Tesouro cancelou os leilões tradicionais de LTN e LFT e anunciou que fará operações extraordinárias de compra e venda de LTN, NTN-B e NTN-F entre os dias 19 e 23 de maio, como forma de oferecer saída para os detentores dos papéis de forma mais ordenada e garantir a referência de preços dpos papéis do governo. O DI Jan/18 encerrou o dia na máxima de 10,07%, de 8,97% no ajuste anterior. O DI Jan/21 saiu de 9,59% para 11,39%.
Dólar:  A tensão no mercado doméstico levou a moeda norte-americana a encerrar o dia com a terceira maior alta da história ante o real. O mercado de câmbio registrou alta desde a abertura do pregão e o dólar futuro entrou em lelião diversas vezes ao longo do dia. No fechamento, a divisa registrava alta de 8,07% ante o real, valendo R$ 3,38.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.