Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 17/07/2018

Brasília, 17 de julho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Destaque do dia ficou por conta das afirmações do presidente do Fed, banco central americano, de que a economia dos EUA tem crescido a um ritmo sólido até agora e que o melhor modo de avançar é “manter a elevação gradual” dos juros. O tom agradou os mercados que reagiram positivamente. Internamente, investidores operam com o pano de fundo das incertezas eleitorais e risco fiscal.

Bolsa: A bolsa brasileira subiu motivada pela agenda doméstica esvaziada, otimismo externo e boas perspectivas quanto à temporada de balanços trimestrais. As blue chips, sobretudo as ações dos bancos foram as que mais contribuíram para a alta do índice. O Ibovespa encerrou o dia em alta de 1,93%, aos 78.130 pontos.
Juros: Os DIs caíram em linha com o otimismo externo após declarações mauis suaves do presidente do banco central norte-americano sobre um aumento gradual dos juros do país. Internamente, a agenda doméstica sem indicadores relevantes contribuíram para que o foco ficasse direcionado ao ambiente internacional. O DI Jan/19 encerrou o dia em 6,71%, de 6,78%. O DI Jan/21 terminou em 9,11%, de 9,18% da véspera.
Dólar: O dólar apresentou volatilidade no início do dia com investidores otimistas com o cenário externo, porém, cautelosos quanto ao imbróglio eleitoral nacional. O mercado avalia as articulações políticas e as pretensões dos candidatos quanto ao futuro econômico do país. A moeda norte-americana encerrou o dia em queda de 0,46%, valendo R$ 3,84.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.