Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 16/02/2018

Brasília, 16 de fevereiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Os mercados domésticos foram basicamente afetados pelo comportamento externo que contou com a volatilidade dos contratos futuros de petróleo e queda das bolsas de Nova York. Internamente, o ambiente conturbado, contou com notícias sobre a intervenção no Rio de Janeiro e as incertezas acerca da corrida eleitoral após desistência de Luciano Huck de concorrer à presidência, porém, não afetaram muito as cotações.

Bolsa: O Ibovespa oscilou ao longo do dia se mantendo próximo à estabilidade, com fôlego limitado pelo avanço de mais de 4% dos últimos dois pregões. Pesaram negativamente as perdas nos contratos de futuros de petróleo. Internamente, investidores ignoraram o provável novo adiamento da votação da reforma da Previdência, possibilidade ainda mais iminente após o governo decretar intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. O índice encerrou o dia em queda.
Juros: Os juros futuros encerraram o dia em queda sem um fator específico relacionado aos DIs que justificassem o movimento. A devolução de prêmios foi basicamente influenciada pela aceleração da queda do dólar ante o real, principalmente na última hora dos negócios. O DI Jan/19 encerrou com taxa de 6,62%, de 6,65%. O DI Jan/21 caiu de 8,72% para 8,62%.
Dólar: O dólar oscilou ante o real ao longo do dia na falta de fatores consistentes que definissem um direcionamento. As discussões acerca da corrida eleitoral concentraram atenção e a possibilidade de adiamento da votação da reforma da Previdência não foi mais vista como tema principal. A divisa norte-americana encerrou o dia em queda de 0,12%, valendo R$ 3,22.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.