Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 14/12/2017

Brasília, 14 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O mercado doméstico reiterou hoje o mau-estar com o adiamento da reforma da Previdência para fevereiro, depois do carnaval. A reação dos ativos foi moderada e investidores preferiram seguir avaliando o cenário com cautela. Lá fora, os mercados também tiveram que lidar com as incertezas em relação à aprovação da reforma tributária e à elevação do teto da dívida dos EUA.

Bolsa: Segundo dia seguido de queda do Ibovespa foi patrocinado pelo ceticismo do mercado em relação à reforma da Previdência. Investidores seguem preocupados com a possível incapacidade do governo de aprovar a reforma em um ano eleitoral e o risco de que o País sofra um downgrade nos próximos meses. O índice chegou a cair 1,30% pela manhã e encerrou o dia em baixa de 0,67%, aos 72.428 pontos.
Juros: Os DIs seguiram acumulando prêmios em continuidade à reação negativa vista desde o final da tarde de ontem, após o adiamento da reforma da Previdência para o ano que vem. Há também, entre os analistas, a preocupação quanto à postura das agências de classificação de risco caso a reforma não seja aprovada em 2018. O DI Jan/19 encerrou o dia estável em 6,95%. O DI Jan/21 subiu de 9,26% para 9,35%.
Dólar: A incerteza em torno da possibilidade de aprovação da reforma da Previdência também afetou o mercado de câmbio. A moeda norte-americana operou com sucessivas máximas ao longo do dia, arrefecendo somente próximo do fechamento e encerrando em alta de 0,40%, ao preço de R$3,33.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.