Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 14/03/2017

Brasília, 14 de março de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O comportamento do mercado doméstico foi marcado pela cautela diante da possibilidade de aumento da taxa de juros dos EUA na reunião de amanhã e da divulgação da “Lista de Janot” ao STF, que acabou acontecendo na reta final do pregão. A lista de pedidos de abertura de inquéritos enviada pelo procurador-geral da República conta com 83 pedidos, e a presença de nomes de peso pode atrasar a agenda para votação da reforma da Previdência.

Bolsa: O Ibovespa iniciou o dia em terreno negativo refletindo a aversão ao risco no ambiente exteno e a queda dos preços do petróleo, que impactaram as ações da Petrobras. A divulgação da lista ocorreu quando o mercado já operava em call de fechamento e contribuiu para o fechamento em queda de 1,27% do índice, aos 64.699 pontos.
Juros: O mercado de juros futuros reagiu em alta às turbulências no cenário político doméstico. O receio em torno de atrasos no cronograma da reforma da Previdência e a forte devolução de prêmios vista nos últimos dias colaboraram para o movimento. Ao final da sessão regular o DI Jan/18 apresentava taxa de 10,05%, de 10,01% no fechamento anterior. O DI Jan/21 passou de 9,93% na véspera, para 10,07%.
Dolar: A expectativa com a reunião do Fed amanhã e possível aumento da taxa de juros norte-americano continuou influenciando o mercado de câmbio. A preocupação dos investidores é de que um aperto grande dos juros dos EUA nos próximos meses poderia causar uma fuga de capital do país. Assim, o dólar encerrou o dia valendo R$ 3,17, com avanço de 0,65%.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.