Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 13/12/2017

Brasília, 13 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Adiamento da votação da reforma da Previdência para fevereiro foi a notícia de fechamento do dia nos mercado. O líder do governo no Senado, Romero Jucá (RR), afirmou que a votação da reforma ficou mesmo para 2018. A expectativa pela decisão do Fed também temperou os negócios e acabou confirmando as expectativas ao elevar o juro dos Fed Funds em 0,25 ponto porcentual para a faixa de 1,25% a 1,50% e reforçar o gradualismo na alta de juros, indicando três altas em 2018.

Bolsa: O mercado acionário brasileiro teve dois momentos distintos nesta quarta-feira, confirmando o cenário de volatilidade dos últimos dias. Pela manhã, o Índice Bovespa subiu até 1,09%, embalado pela definição do segundo julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela decisão do PSDB de fechar questão em favor da reforma da Previdência. À tarde, um conjunto de fatores tirou o fôlego do índice, que chegou a cair 1,69%, após o Broadcast Político informar, em primeira mão, sobre o acordo que adiou a votação da reforma da Previdência para fevereiro. Ao final do pregão, o índice teve queda de 1,22%, aos 72.914,33 pontos.
Juros: A informação de que o governo deixará para fevereiro a votação da reforma da Previdência, dada pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), no final da tarde levou os juros de médio e longo prazos a zerarem a queda sessão estendida, fechando perto da estabilidade. Embora fosse baixa a expectativa de que a proposta fosse votada ainda este ano, nos últimos dias, o fechamento de questão por parte de alguns partidos da base aliada em favor do texto chegou a dar esperança ao mercado, que está cético de que haverá condições de aprovar a proposta em ano eleitoral. O DI JAN/19 encerrou o dia em 6,95%, de 6,98% da véspera. O DI Jan/21 saiu de 9,31% para 9,30%.
Dólar: O dólar para janeiro acelerou os ganhos por volta das 17 horas, depois que o senador Romero Jucá (PMDB-RR) anunciou ao Broadcast Político um acordo entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do Senado, Eunício Oliveira, para adiar a votação da reforma da Previdência para fevereiro. O dólar à vista fechou em queda de 0,10%, a R$ 3,3228. Na máxima, atingiu R$ 3,3233 (-0,08%) e, na mínima, R$ 3,2883 (-1,13%).

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.