Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 12/12/2017

Brasília, 12 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Mercado de juros e câmbio instáveis em virtude do noticiário em torno da reforma da Previdência, sobretudo diante da sinalização do executivo e legislativo de impossibilidade de votar a reforma ainda este ano. No ambiente externo, o compasso de espera pela derradeira decisão de política monetária do Federal Reserve, marcada para amanhã, voltou a ditar o rumo dos negócios.

Bolsa: O pregão foi marcado por instabilidade, com a bolsa apresentando altas e baixas ao longo de todo o dia. As incertezas com relação à reforma da Previdência seguiram no foco dos investidores, mas foi a notícia de que o Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF4) marcou o julgamento do ex-presidente Lula em segunda instância o dia 24 de janeiro, veiculada nos minutos finais do pregão, que favoreceram a alta das ações. O Ibovespa encerrou o dia com ganho de 1,39%, aos 73.813 pontos.
Juros: A percepção de que não haverá condições para votar a reforma da Previdência ainda em 2017 amadureceu mais um pouco no mercado doméstico nesta terça-feira, ajudando a pressionar para cima a ponta longa da curva de juros e também o dólar ante o real. Já os contratos de curto prazo encerraram com viés de baixa, com a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) confirmando a mensagem do comunicado da reunião da semana passada de que a Selic deve ser reduzida em 0,25 ponto porcentual em fevereiro.
Dólar: O dólar teve mais um dia de alta ante o real, fortalecendo o pessimismo em torno da possibilidade de aprovação da reforma da Previdência ainda este ano. A notícia sobre o julgamento do ex-presidente Lula, pelo TRF4, em janeiro, entretanto, reduziu os ganhos do dólar, que encerrou o dia em leve alta de 0,03%, valendo R$ 3,31.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.