Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 11/09/2017

Brasília, 11 de setembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Cenário externo mostrou alívio nas tensões geopolíticas (possível teste nuclear pela Coreia do Norte no final de semana não se concretizou e furacão Irma perdeu força) e ambiente doméstico refletiu apostas de retomada das discussões acerca da reforma da Previdência, com o governo mostrando a intenção de votá-la já em outubro.

Bolsa: O Ibovespa encerrou o dia no patamar recorde de 74.319 pontos, alta de 1,70%. O movimento ocorreu amparado na melhora das perspectivas no cenário doméstico, com as possibilidade de votação da reforma da Previdência em outubro e a repercução em torno da prisão dos executivos Joesley Batista e Ricardo Saud, vista como fator que enfraquece uma possível denúncia da PGR contra o presidente Temer. Lá fora, o alívio com as tensões geopolíticas deram um tom positivo aos mercados.
Juros: O mercado de juros futuros teve um dia de realização de lucros que foi endossado pela inversão da queda do dólar. Segundo especialistas, alta teve caráter técnico, não representando mudança na pespectiva positiva em relação aos fundamentos. O DI Jan/19 encerrou a etapa regular em 7,68%, de 7,62% do dia anterior. O DI Jan/21 terminou na máxima de 8,99%, ante 8,91%.
Dólar: O dólar fechou em alta num dia de entrada massiva de de fluxo de importadores, além de um movimento técnico de zeragem de posições. Após sete pregões consecutivos de queda a moeda norte-americana encerrou o dia em alta de 0,39%, valendo R$ 3,11.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.