Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 11/07/2018

Brasília, 11 de julho de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O dia foi de cautela nos mercados domésticos em reflexo a retomada das tensões comerciais entre EUA e China. A ameaça norte-americana de impor tarifas de 10% sobre mais de US$ 200 bilhões em produtos chineses e o alerta de Pequim sobre preparar “contramedidas necessárias” motivou a busca por segurança. A pauta do Congresso, às vésperas do recesso do meio do ano, também esteve no foco dos investidores.

Bolsa: O Ibovespa teve mais um dia de queda atribuídos ao conflito comercial global intensificado pela nova ameaça dos EUA contra a China. Os riscos atribuídos às incertezas eleitorais e seus impactos para o futuro da economia brasileira seguiram no radar. O índice encerrou o dia em queda de 0,39%, aos 74.398 pontos.
Juros: Os DIs encerraram a sessão regular em alta em relação aos ajustes de ontem alinhadas ao mau humor externo e ao avanço do dólar no mercado doméstico. O noticiário doméstico também esteve no radar com investidores aguardando a votação no no Senado do parecer da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O DI Jan/19 encerrou o dia em 6,83%, de 6,79% do dia anterior. O DI Jan/21 saiu de 9,09% para 9,15%.
Dólar: O dólar teve um dia de alta em meio à retomada da aversão ao risco nos mercados internacionais. Investidores reagiram mal ao embate comercial entre EUA e China por acreditarem que as medidas tendem a prejudicar o crescimento da economia global. A divisa norte-americana encerrou o dia em alta de 1,91%, valendo R$3,87.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.