Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 11/05/2017

Brasília, 11 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Mercados tiveram um dia positivo ainda amparados pelo otimismo com a possibilidade de aprovação da reforma da Previdência. No cenário internacional, o clima de aversão ao risco foi mantido, com fatos políticos nos EUA atraindo a atenção e afetando as principais bolsas do país.

Bolsa: A Bovespa apresentou a terceira alta consecutiva, porém já dá demostrações de perda de fôlego. O dia foi de oscilações, diante de um noticiário fraco e da queda das bolsas de Nova York. Ainda assim, o índice encerrou o dia em alta de 0,28%, aos 67.537 pontos.

Juros: Os DIs tiveram um dia de queda reagindo ao resultado das vendas do varejo do mês de março, abaixo do esperado, o que reforça a aposta de um corte maior na Selic na próxima reunião do Copom, no final desse mês. O movimento de queda foi maior na ponta curta da curva, ratificando o quadro de mudanças na expectativa de corte. O DI Jan/18 encerrou o dia na mínima de 9,18%, de 9,28% no ajuste de ontem.

Dólar: O dólar seguiu o comportamento no exterior e caiu ante o real no dia. O movimento acompanha o avanço das commodities no exterior e o otimismo com a possível aprovação da reforma da Previdência. A divisa norte-americana encerrou o dia em baixa de 0,70%, valendo R$ 3,14.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.

Bolsa:  A Bovespa apresentou a terceira alta consecutiva, porém já dá demostrações de perda de fôlego. O dia foi de oscilações, diante de um noticiário fraco e da queda das bolsas de Nova York. Ainda assim, o índice encerrou o dia em alta de 0,28%, aos 67.537 pontos.
Juros:  Os DIs tiveram um dia de queda reagindo ao resultado das vendas do varejo do mês de março, abaixo do esperado, o que reforça a aposta de um corte maior na Selic na próxima reunião do Copom, no final desse mês. O movimento de queda foi maior na ponta curta da curva, ratificando o quadro de mudanças na expectativa de corte. O DI Jan/18 encerrou o dia na mínima de 9,18%, de 9,28% no ajuste de ontem.
Dólar:  O dólar seguiu o comportamento no exterior e caiu ante o real no dia. O movimento acompanha o avanço das commodities no exterior e o otimismo com a possível aprovação da reforma da Previdência. A divisa norte-americana encerrou o dia em baixa de 0,70%, valendo R$ 3,14.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.