Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 10/01/2018

Brasília, 10 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Dia marcado pela divulgação da carta de Ilan Goldfajn ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicando as razões para a inflação ter encerrado 2017 abaixo do piso da meta. A justificativa, pautada na queda dos alimentos para o resultado anual, não movimentou as taxas na sessão estendida. No exterior, as bolsas de Nova York ensaiaram pontualmente uma recuperação, apoiadas pelo desempenho dos papéis do setor bancário, mas o movimento foi contido por relatos de que autoridades canadenses estão convencidas de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, irá anunciar a saída do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês).

Bolsa: O mercado de renda variável teve mais um dia de realização de ganhos, alinhados ao comportamento das bolsas no exterior. Houve uma redução do apetite dos investidores não-residentes, o que contribuiu para a correção da bolsa. O Ibovespa encerou o dia em queda de 0,84%, aos 78.200 pontos. O volume chegou a R$ 7,86 bilhões, aproximadamente 20% da média dos últimos meses.
Juros: O resultado do IPCA acima do esperado em dezembro e no acumulado de 2017 foi o principal vetor dos negócios com juros futuros no dia. A trajetória ascendente da inflação no fim do ano passado provocou ajuste moderado nas apostas para a política monetária nos próximos meses, ao sugerir menor espaço para novos cortes da Selic nas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) em fevereiro e março. Os DIs de curto prazo encerraram o dia em alta, ao passo que a ponta loonga da curva terminaram praticamente estáveis. O DI Jan/19 encerrou o dia em 6,86%, de 6,81% da véspera. O DI Jan/21 fechou em 8,92%, perto do ajuste de ontem, que foi de 8,90%.
Dólar: Após dois dias de alta, o dólar fechou em queda nesta quarta-feira, retornando à casa dos R$ 3,23, em um dia marcado pelo maior fluxo de capitais com a atuação de exportadores. O comportamento do câmbio doméstico ficou em linha com o enfraquecimento da moeda americana no exterior. A divisa encerrou em queda de 0,39%.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.