Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 08/03/2019

Brasília, 08 de março de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário:

O mercado externo continua enfraquecido e com dificuldade de assumir riscos diante da desaceleração das grandes economias mundiais. No foco do mercado internacional permaneceu os EUA com divulgação de dados do mercado de trabalho muito aquém do que os analistas esperavam. Menos criações de vagas no mercado privado com aumento do ganho salarial aumentam a desconfiança na capacidade de manutenção do mercado americano nos patamares observados. O Brasil reflete essa dificuldade externa, porém em um dia atípico com melhorias nas negociações de petróleo a Petrobrás deu suporte à uma recuperação do pregão ao patamar de 95 mil pontos.

Bolsa: Em um movimento de alívio, a bolsa teve alta de 1,09% aos 95.365 pontos, devido à melhor posição de negociação do petróleo no mercado externo, o que puxou as ações da petrobras. Entende-se também que os fundamentos econômicos do Brasil estão em bons patamares e que bons resultados gerais causam grande reflexo debelando especulações.
Juros: O DI de janeiro 20 fechou em 6,465% de 6,48 no ajuste anterior, e o DI jan/21 em 7,13% de 7,19% do ajuste anterior. A falta de novas informações sobre a previdência e uma semana fraca fizeram com que os ajustes feitos ao longo dos últimos pregões fechassem essa semana com os DI praticamente estáveis (7,15% de sexta passada).
Dólar: A moeda americana passou a semana em atenção às notícias de desaceleração nas economias externas e no compasso do avanço ou não de medidas mais eficazes para a reforma da previdência. Após 4 pregões de alta a moeda fecha em baixa de 0,39%, aos R$ 3,869 porém com alta acumulada na semana de 2,38%.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.