Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 08/02/2018

Brasília, 08 de fevereiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O cenário doméstico foi basicamente influenciado pelo resultado do IPCA do mês de janeiro que registrou o menor valor para o período desde o início do Plano Real. O comunicado do Copom, após a decisão de redução a Selic em 0,25 pp, indicou para fim do ciclo de cortes, no entanto, deixou espaço para uma decisão contrária na reunião de março, a depender do andamento das reformas no Congresso.

Bolsa: A bolsa doméstica teve um dia de baixa refletindo basicamente o movimento negativo do petróleo e os rendimentos dos Treasuries que pioraram as bolsas americanas. Os analistas entretanto não acreditam que o movimento indique uma tendência de baixa para o Ibovespa, mas sim correções estimuladas pelo exterior. O índice encerrou o dia em baixa de 1,49%, aos 81.532 pontos.
Juros:  O resultado do IPCA em janeiro, o menor para o mês desde o início do Plano Real, tirou o foco dos investidores do comunicado pós decisão Copom, anunciado ontem no final do dia e levou analistas a avaliarem os próximos passos do Comitê de Política Monetária. O movimento predominante foi de pressão baixista nas taxas em toda a curva, levando o DI Jan/19 a encerrar o dia em 6,74%, de 6,80% da véspera. O DI Jan/21 fechou em 8,85%, de 8,87% no fechamento anterior.
Dólar: O dólar teve um dia de alta ante o real apesar de mostrar uma queda pontual no início dos negócios, em reação à desaceleração do IPCA de janeiro, que refletiria uma recuperação frágil da economia interna e abriria espaço para novas reduções da Selic. A divisa norte-americana encerrou o dia em alta de 0,15%, valendo R$ 3,27.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.