Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 08/01/2018

Brasília, 08 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Trajetória de alta nas bolsas de Nova York contribuiu para mais um fechamento positivo da bolsa brasileira (11º seguido). Internamente, declarações dos ministros da Fazenda e do Planejamento reforçaram a prioridade com relação à reforma da Previdência em meio a rumores de potenciais reações negativas de agências risco.

Bolsa: O Ibovespa inverteu o sinal negativo do início do dia e encerrou em alta de 0,39%, aos 79.378 pontos, ratificando sua boa fase. O apetite do investidor estrangeiro na ponta compradora segue como fiel da balança para o tom positivo dos negócios. o Ibovespa acumula ganho de 8,19% no mês.
Juros: O maior apetite ao risco e o comportamento do câmbio influenciaram o mercado de DIs. Os juros futuros começaram a semana ajustando a ponta longa em leve baixa. As taxas de curto e médio prazos tiveram oscilações restritas, dada a fraqueza da agenda de indicadores e ausência de notícias que pudessem alterar as expectativas para a política nos próximos meses. O DI Jan/19 encerrou o dia em 6,79% de 6,80% da véspera. O DI Jan/21 caiu de 8,89% para 8,85%.
Dólar: Após ter operado volátil ao longo da sessão, o dólar à vista fechou em leve alta nesta segunda-feira, em linha com o movimento da moeda americana no exterior. Com isso, a divisa quebrou a sequência de quatro quedas consecutivas registradas na primeira semana de janeiro, quando acumulou perda 2,47%. Profissionais do mercado divergiram sobre o impacto sobre os ativos da decisão do governo de adiar a discussão da chamada regra de ouro. O dólar à vista fechou em alta de 0,14%, valendo R$ 3,23.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.