Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 07/03/2019

Brasília, 07 de março de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário:

Em um dia de fortes pressões externas o mercado conseguiu resistir às pressões e a aversão ao risco bem como às preocupações de desaceleração global. Dados referentes à produtividade americana pouco aquém do esperado pressionaram ainda mais as moedas de países emergentes. No Brasil a capacidade de articulação política do governo continua no centro das preocupações dos principais investidores.

 

Bolsa: O mercado ficou dividido entre as pressões externas e poucas mudanças internas que pudessem embasar alguma alteração nas posições. As operações foram bastante tímidas, mas não cederam as pressões externas assim e mantiveram-se leve alta de 0,13% aos 94.340 pontos.
Juros: Em dia de leilão de títulos públicos e pressões externas diante da decisão do BCE, os analistas seguraram pressões, inclusive do dólar para manter os juros em patamares praticamente estáveis em todos os termos. Analistas acreditam que os próximos dias do governo serão decisivos para conseguirem conter as pressões sobre os ativos nos mercados brasileiros. No fim do dia o DI jan/2020 ficou em 6,745% (6,485% do dia anterior) e o DI Jan/21 ficou estável em 7,19%
Dólar: As pressões externas impactaram fortemente na moeda americana na data de hoje fazendo com que o dólar balcão fechasse em alta de 1,30%, aos 3,8842, depois de chegar a 3,9018 na máxima do dia. Esse movimento foi em todas as moedas de países emergentes, porém o real foi a terceira moeda de 33 países que mais sofreu com esse momento. Esse padrão pode ainda não ter absorvido os impactos das últimas declarações do presidente Bolsonaro que, sobre o dólar, são incertas.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.