Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 04/01/2018

Brasília, 04 de janeiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O apetite global por ativos de risco deu o tom positivo aos mercados domésticos nessa quinta-feira. O risco Brasil (CDS) caiu abaixo de 150 pontos, o que não acontecia desde meados de 2014. Indicadores robustos de emprego nos EUA e do setor de serviços na Europa ratificaram o bom humor dos investidores.

Bolsa: O mercado de renda variável segue favorecido pelos bons ventos vindos do exterior e perspectivas de um ambiente doméstico mais positivo. O volume de negociações chegou a R$ 9,6 bilhões e teve a média da primeira semana de janeiro maior que o mesmo período do ano passado. O Ibovespa encerrou o dia com valorização de 0,84%, aos 78.647 pontos.
Juros: A quarta-feira foi de rali nos mercados pelo mundo, mas no Brasil o segmento de juros não acompanhou a intensidade dos ajustes vistos na Bolsa e no câmbio. O apetite global por ativos de risco, em tese, resultaria em queda das taxas longas, normalmente mais sensíveis ao quadro externo, mas estas oscilaram entre leve alta e a estabilidade e terminaram o dia perto dos ajustes, pressionadas pela oferta de papéis prefixados do Tesouro. O destaque foi a venda integral do lote de 3 milhões da NTN-F 2029, vencimento ofertado pela primeira vez. O DI Jan/19 e o DI Jan/21 fecharam estáveis em 6,77% e 8,85% respectivamente.
Dólar: O maior apetite ao risco desencadeado por uma série de indicadores econômicos positivos levou o dólar a cair frente a várias moedas, incluindo o real. O otimismo em relação ao crescimento da economia mundial, aliado a notícias favoráveis também no campo doméstico, fez a moeda americana à vista fechar na casa dos R$ 3,23, no menor patamar em quase um mês, depois de ter atingido os R$ 3,22 no intraday. Foi a terceira queda seguida da moeda, que acumula perda de 2,45% neste início de 2018.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.