Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 02/05/2017

Brasília, 02 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Otimismo com possível aprovação da reforma da Previdência conduziu mercados no dia. A percepção dos investidores de que a greve geral de sexta e as manifestações do dia do trabalho não comprometem o andamento das reformas deu fôlego para os negócios. No cenário internacional, declarações de Trump causaram certa oscilação, no entanto, a divulgação de balanços positivos limitaram as perdas.

Bolsa:  A Bolsa doméstica encerrou o dia em alta acompanhando o comportamento das principais bolsas internacionais e o bom humor no mercado interno. Além disso, os negócios sofreram ajuste em virtude da valorização observada em Wall Street na véspera, quando o mercado local estava fechado. Entre as blue chips, os bancos lideraram as altas. O Ibovespa encerrou o dia em alta de 2,02%, aos 66.721 pontos.
Juros:  Os DIs devolveram prêmios amparados na boa expectativa com relação à aprovação da reforma da Previdência. Articulações do governo no final de semana ratificam a percepção de que Temer conseguirá a maioria dos votos para aprovação das reformas. Os juros futuros fecharam em baixa e ao final da sessão o DI Jan/18 marcava 9,44%, de 9,48% na sessão anterior. O DI Jan/21 encerrou na mínima de 9,92%, de 10,00% no último ajuste.
Dólar:  O mercado de câmbio refletiu o tom otimista dos investidores no dia. O movimento de queda ganhou fôlego após os comentários do presidente da Câmara que admitiu a possibilidade de a votação do relatório da Previdência ser concluída até amanhã. O dólar à vista encerrou o pregão em queda de 0,74%, valendo R$ 3,15.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.