Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado – 02/02/2018

Brasília, 02 de fevereiro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: Encerramento da semana considerou as notícias sobre o aumento das apostas em quatro altas de juros pelo Federal Reserve neste ano, embora a visão majoritária ainda seja de três alterações. No noticiário doméstico, o foco se manteve no imbróglio acerca da votação da reforma da Previdência ainda em fevereiro.

Bolsa: Influenciado pelo movimento de realocação de recursos que se seguiu às divulgações de dados da economia americana, que vieram mais fortes do que o esperado, o Ibovespa encerrou a sessão de negócios em queda de 1,70%, aos 84.041,34 pontos.
Juros: Os juros futuros de longo prazo ampliaram a queda e renovaram mínimas à tarde, enquanto os vértices curtos e intermediários fecharam perto da estabilidade. A despeito das boas notícias no front doméstico, a melhora do mercado na etapa vespertina não foi atribuída a nenhum fator específico, mas sim ao aumento do apetite pelo risco de ativos emergentes, visto nas moedas e, principalmente, na Bolsa brasileira. O DI Jan/19 encerrou o dia em 6,81%, ante 6,80% no ajuste de ontem. O DI Jan/21 ficou estável em 8,82%.
Dólar: Após terem ontem um alívio nos prêmios de risco, os juros futuros de médio e longo prazos hoje passaram por um forte ajuste de alta, a partir do humor externo. As taxas já subiam desde a abertura, mas o movimento ganhou tração após o relatório de emprego norte-americano de janeiro, cuja leitura reforçou o alerta do comunicado do Federal Reserve esta semana sobre o comportamento da inflação e a ideia de quatro altas de juros em 2018. Analistas citaram ainda algum desconforto com a questão da reforma da Previdência, embora o mercado não venha nutrindo esperanças de aprovação do texto. Os contratos curtos também não escaparam da correção, mas o avanço foi mais comedido do que nos longos, que são mais sensíveis ao quadro internacional.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.