Boletim de Fechamento

Fechamento de Mercado -01/03/2018

Brasília, 01 de março de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Fechamento dos Mercados

Resumo diário: O resultado do PIB de 2017 foi o destaque da agenda doméstica no dia. O crescimento ficou abaixo da mediana do mercado (+1,10%), ainda que tenha vindo positivo (+1,0%). A percepção dos investidores foi de que o avanço se mostrou insuficiente, o que pode influenciar a decisão de mais uma redução da taxa Selic na próxima reunião do Copom. No ambiente internacional, agentes do mercado monitoraram a fala do presidente do Fed, Jerome Powell, em busca de novas sinalizações acerca do aperto monetário no país.

Bolsa: A bolsa doméstica subiu boa parte do dia influenciada pelo resultado do PIB nacional, notícia bem recebida sobretudo pelos investidores estrangeiros. O movimento, no entanto, foi contido pela queda das bolsas internacionais, o que levou o Ibovespa a inverter o resultado e encerrar o dia em próximo à estabilidade em alta de 0,03%, aos 85.377 pontos.
Juros: No mercado de juros futuros, a ponta curta da curva reagiu ao resultado do PIB de 2017 em queda, com a visão dos analistas de que o resultado mesmo que positivo, representa uma recuperação ainda fraca da economia, e reforça as apostas de de que a Selic pode cair 0,25% na próxima reunião do Copom. Já os vencimentos de longo prazo refletiram a alta do dólar e a cautela no exterior. O DI Jan/19 encerrou em 6,56%, de 6,57% no ajuste anterior. O DI Jan/21 fechou estável em 8,45%.
Dólar: O comportamento do dólar no cenário internacional foi replicado internamente ante a moeda brasileira. O movimento de alta foi contido apenas pelo resultagdo do PIB brasileiro de 1,0%, considerado positivo por alguns agentes, embora tenha vindo abaixo da mediana das projeções dos investidores. O dólar encerrou o dia em alta de 0,30%, valendo R$ 3,25.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores