Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 31/08/2018

Brasília, 31 de agosto de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: as ameaças do presidente dos EUA, Donald Trump, de seguir adiante com tarifas sobre mais produtos chineses mantêm os investidores preocupados e geram dúvidas sobre um acordo dos norte-americanos com o Canadá no âmbito do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta). Nesse sentido, bolsas europeias e futuros de bolsa de Nova Iorque operam em baixa, ao passo que o dólar ganha valor ante as moedas internacionais.

Interno: a manutenção da conjuntura externa instável e início do horário eleitoral gratuito movimentam os negócios locais. Na agenda de indicadores, a perspectiva de pequena elevação de 0,1% do PIB do 2T18, segundo a mediana das projeções, e estimativas de que as contas públicas apresentem déficit de R$ 5,05 bilhões em julho mostram como está o panorama recente da economia nacional.

Bolsa: a permanência do mau humor dos players internacionais por conta das preocupações comerciais entre EUA e China aliado as indefinições eleitorais doméstica são vetores com potencial de manter o Ibovespa com viés de baixa.
Juros: o cenário externo ainda negativo e seus efeitos de alta sobre a taxa de câmbio brasileira e com impactos sobre a inflação local devem pesar sobre a curva de juros. No entanto, a previsão de uma pequena elevação do PIB do 2T18 deve se contrapor a conjuntura externa pior. Assim, espera-se que a curva de juros trabalhe na estabilidade nos prazos mais curtos e continuem em alta nos vencimentos de médio e longo prazo.
Dólar: o ambiente financeiro internacional ruim por conta das renovadas preocupações da guerra comercial entre EUA e China, além das negociações dos norte-americanos com o Canadá fortalecem a divisa estadunidense. Por outro lado, a previsão de pequena alta do PIB nacional referente ao segundo trimestre e anúncio do Banco Central de que irá rolar contratos de swaps cambiais que vencem em outubro devem limitar a tendência de alta do dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.