Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 31/08/2017

Brasília, 31 de agosto de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: investidores amanhecem com tom positivo nas bolsas e commodities e dólar em recuperação ante as moedas internacionais. Expectativas de dados positivos da economia norte-americana ajuda no viés de propensão ao risco pelos agentes. Ademais, indicador de atividade da indústria chinesa melhor do que o esperado corrobora o bom humor dos players.

Interno: a derrota do governo na votação das novas metas fiscais ontem traz desconforto diante da falta de apreciação de dois destaques. Em seguida, o governo já acionou o plano B, que é o envio de um projeto de Lei Orçamentária de 2018 “fictício”, ainda sob a meta fiscal de déficit de R$ 129 bilhões. Agora, o governo precisará fazer um “corte” de R$ 30 bilhões nas despesas previstas na proposta de 2018.

Bolsa: a alta das bolsas externas e das commodities devem impulsionar o Ibovespa positivamente. Por outro lado, o índice paulista deve apresentar variações comedidas diante da não conclusão da votação de mudanças das metas fiscais.
Juros: cautela com relação ao fiscal por conta da não conclusão da votação de mudanças das metas orçamentárias e alta do dólar no exterior devem manter a estrutura à termo de juros próximos dos ajustes.
Dólar: o ambiente internacional positivo com expecativa de dados melhores da economia norte-americana devem ampliar a disputa entre comprados e vendidos no fechamento da Ptax (cotação de contratos de futuro de dólar) de hoje. Além disso, dúvidas quanto as metas fiscais do governo também devem pesar nos negócios. Assim, espera-se que o dólar permanece volátil ante ao real durante o pregão.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.