Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 31/05/2017

Brasília, 31 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: encerrando o mês de maio, os investidores internacionais operam com bom humor, após a divulgação de dados positivos na Zona do Euro e na China. Ajuda também o viés positivo lá fora as pesquisas divulgadas sobre a eleição parlamentar no Reino Unido, que acontece em 8 de junho, a primeira mostrava uma perda de vantagem do Partido Conservador, da primeira-ministra Theresa May.

Interno: segue as incertezas políticas diante das dificuldades do governo em retomar a agenda no Congresso conforme foi evidenciado ontem, após tentativas frustradas no avanço da reforma trabalhista e na convalidação de benefícios fiscais nos Estados. Pesa também a decisão do ministro do STF, Edson Fachin, de manter o presidente Michel Temer como investigado no âmbito da Lava Jato por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e tentativa de obstrução da Justiça.

Bolsa: melhora do ambiente externo pode ajudar o movimento dos preços dos papéis domésticos. No entanto, espera-se ainda volatilidade por conta do imbróglio político e seus potenciais efeitos negativos na economia.
Juros: em dia de decisão do Copom, investidores locais devem manter o viés de baixa nos DIs devido a expectativa majoritária do mercado de que a taxa Selic caia 1pp, levando-a 10,25% ao ano. A taxa de câmbio menos pressionado deve ajudar na tendência de queda dos prêmios ao longo da estrutura à termo de juros. Bom lembrar que as incetezas na área política podem reverter a perspectiva de queda dos juros.
Dólar: o cenário externo mais favorável aos ativos de risco tende a depreciar o dólar ante ao real na sessão de hoje. A formação da Ptax (cotação de fechamento de contratos de derivativos de câmbio) com pressão técnica de vendidos e a valorização de moedas ligadas a commodities reforçam o viés de alta do real. Cabe destacar que as incertezas políticas podem limitar o movimento.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.