Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 30/10/2019

Brasília, 30 de outubro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: O noticiário em torno das questões comerciais entre EUA e China indicando possível atraso na assinatura do acordo comercial preliminar da chamada “fase 1” empurram as bolsas europeias e americanas para baixo. Enquanto isso, investidores também ficam no aguardo da decisão de politica monetária do Federal Reserve (Banco Central dos EUA). No momento, as commodities caem e o dólar ganha valor frente a maioria das moedas internacionais.

Interno: Novos ruídos políticos diante da reportagem do Jornal Nacional mostrando suposta vinculação de Jair Bolsonaro no caso da vereadora, Marielle Franco, associado a falta de anúncio do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o pacote com cinco eixos para conter os gastos do governo federal são fatores que deve mexer com os preços dos ativos nacionais. Na agenda, a decisão do Copom sobre a taxa Selic, a alta de 0,68% do IGP-M de outubro, abaixo da expectativa do mercado, e previsão de déficit do governo central de R$ 23,1 bilhões serão os destaques.

Bolsa: O ambiente internacional ruim e ruídos políticos interno devem impor queda do Ibovespa no dia.
Juros: A alta do dólar frente a maioria das moedas internacionais (gera pressão na inflação no curto prazo), previsão de alta do déficit do governo central e correção de preços tendem a subir os juros futuros (alta, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A conjuntura financeira mais avessa ao risco lá fora e ruídos políticos doméstico devem impor alta do dólar frente ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.