Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 30/08/2018

Brasília, 30 de agosto de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: a cautela predomina novamente nesta abertura, com os investidores atentos às discussões comerciais e à espera do índice de inflação (PCE) dos EUA. Ademais, as máximas atingidas nas bolsas de Wall Street impõem limites para novos ganhos nas praças acionárias, enquanto o dólar segue a valorização ante as moedas emergentes.

Interno: o breve alívio externo de ontem não se estende para hoje e deixa os investidores locais apreensivos com o cenário político incerto. A sessão extraordinária marcada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para amanhã, que pode analisar a participação do ex-presidente Lula segue sendo acompanhado. Na agenda doméstica, a perspectiva de alta de 0,63% do IGP-M de agosto e estimativas de que a taxa de desemprego ceda marginalmente para 12,3%, na apuração até julho, são os destaques.

Bolsa: o mau humor dos players internacionais diante das preocupações comerciais e na expectativa com o indicador de inflação dos EUA associado as incertezas na seara política doméstica tendem a derrubar o Ibovespa. No front corporativo, o leilão de desestatização das distribuidoras de energia vinculadas a Eletrobrás e flexibilização de cotas de importação de aço pelo EUA favorável ao Brasil completam o noticiário.
Juros:  o cenário externo mais negativo, perspectiva de alta do IGP-M e indefinições no âmbito da corrida eleitoral brasileira tendem a impor viés de alta da curva de juros futuros (influenciando o custo do dinheiro no curto, médio e longo prazo).
Dólar: a forte queda da lira turca contamina as demais moedas emergentes e investidores aproveitam para gerar pressão na taxa de câmbio doméstica. Além disso, a véspera de formação de Ptax (taxa de câmbio utilizada para fechar contratos de dólar futuro) tende a impulsionar os negócios. Nesse sentido, o real tende a desvalorizar frente ao dólar na sessão regular.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.