Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 30/07/2019

Brasília, 30 de julho de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: A decisão de política monetária do Banco do Japão (BoJ) de manter os juros e demais instrumentos inalterados e indicar está preparado para adotar afrouxamento adicional no caso de perda de ímpeto dos preços ajudou positivamente os mercados asiáticos. Contudo, na Europa, a desaceleração do PIB francês e polêmica em relação a saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit) derrubam as bolsas do velho continente. Futuros de bolsas de Nova Iorque caem diante das expectativas com as negociações comerciais entre EUA e China e balanços corporativos. As commodities caem, enquanto o petróleo sobe. O dólar oscilava frente boa parte das moedas internacionais.

Interno: Investidor local deve acompanhar movimento lá fora diante da agenda de eventos doméstica fraca. No calendário de indicadores, a alta do IGP-M de 0,4% de julho, abaixo das expectativas de 0,52%, pode reforçar as apostas de queda de juros cuja decisão pelo Copom está prevista para começar hoje e terminar amanhã no fim do dia.

Bolsa: O viés negativo das praças acionárias na Europa e nos EUA devem estimular alguma correção de preços e refletir baixa dos papéis negociados na bolsa paulista. Assim, o Ibovespa tende a cair no dia.
Juros: A fraqueza da economia nacional reforçada pelo IGP-M de julho abaixo das estimativas deve sobrepor sobre a volatilidade do câmbio (gera pressão na inflação no curto prazo). Assim, os juros futuros tendem a cair (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A volatilidade do dólar ante a maioria das moedas estrangeiras e previsão de queda da taxa Selic amanhã (tira atratividade de aplicação externa no país) tendem a pressionar a divisa doméstica. Assim, o dólar deve subirr ante ao real.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.