Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 30/06/2017

Brasília, 30 de junho de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: mercados internacionais começam o dia ligeiramente no positivo com as bolsas europeias e futuros de bolsa dos EUA em alta. A desaceleração da inflação ao consumidor na região do euro menor do que esperado reforçam a ideia de que o Banco Central Europeu pode reverter a política monetária expansionista mais cedo do que o estimado. Nos EUA, a agenda trás, o PMI de Chicago, às 10h45, com expectativa de leve desaceleração, e os indicadores de confiança da Universidade de Michigan, às 1h00.

Interno: em dia de greve geral pelas Diretas convocada pelas principais centrais sindicais do país em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência e o presidente Michel Temer, os investidores seguem preocupados com o quadro fiscal após a divulgação ontem o resultado do setor público consolidado ter apresentado pior déficit para meses de maio em 20 anos.

Bolsa: a menor aversão ao risco lá fora com alta das commodities e das bolsas deve ajudar o Ibovespa a manter uma recuperação. No entanto, a greve geral pelas Diretas e o quadro político ainda incerto pode limitar o movimento positivo do Ibovespa no dia.
Juros: quadro fiscal preocupante pelos agentes econômicos, após os número do setor público consolidado terem mostrado ontem pior déficit para meses de maio em 20 anos pode impor pressão na curva à termo. Por outro lado, dados da PNAD Contínua com perspectiva de elevação da taxa de desemprego deve pesar e impor viés de queda para os juros futuros.
Dólar: em dia de definição de Ptax (definição da taxa de câmbio para derivativos de câmbio), as cotações deverão ser volatéis diante da briga entre os que apostaram na alta do dólar e os que apostam na depreciação da moeda americana. Os ganhos do dólar ante ao real no mês (+1,75% até ontem) podem impor limites para que a divisa opere em alta frente a moeda doméstica.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.