Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 30/05/2017

Brasília, 30 de maio de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: retorno dos mercados internacionais, após o feriado de ontem, traz viés negativos para os ativos de risco. Investidores internacionais usam o argumento de incertezas com a antecipação das eleições na Itália, que podem resuttar na vitória de grupos anti-euro. Ademais, players ficam no aguardo de dados dos EUA referente a renda, gastos pessoais e inflação.

Interno: segue o quadro de indefinição política diante da crescente percepção de que uma mudança de governo não será tão iminente quanto o previsto inicialmente. As indicações de que Temer pretende lutar pelo mandato esfriam as apostas de que um acordo poderia ser costurado, visando permitir uma transição controlada e negociada.

 

Bolsa: a abertura negativa das bolsas internacionais na volta do feriado de ontem conjugado com as incertezas no campo político doméstico tendem a manter o viés de baixa do Ibovespa no pregão e hoje.
Juros: as incertezas quanto ao julgamento da chapa Dilma/Temer previsto para o dia 6 de junho diante da indicação de que o presidente Temer usará todos os recursos jurídicos possíveis para protelar a situação tende a deixar os investidores domésticos cautelosos. Início da reunião do Copom também deve provocar estabilidade da curva à termo de juros nos vencimentos de curto prazo e leve pressão de alta nos demais vértices.
Dólar: a conjuntura externa negativo e a crise política interna devem impulsionar a ata do dólar ante ao real. Vale lembrar que a véspera de vencimento da Ptax (cotação de dólar utilizado para fechar contratos de derivativos de câmbio) ajuda a provocar volatilidade na abertura do pregão.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.