Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 30/03/2017

Brasília, 30 de março de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os mercados internacionais operam sem movimentos definidos conforme observado no câmbio em que o dólar ganha contra algumas moedas e perde em outras. Segue no radar as incertezas políticas nos EUA e na Europa, em meio ao início do processo do Brexit. Ademais, o recente aperto de liquidez pelo Banco Central da China (PBoC) também segura o ímpeto dos players externos.

Interno: a agenda cheia de indicadores e a decisão do governo de contigenciar R$ 42,1 bilhões e reonerar 50 de 54 setores que tinham benefício fiscal serão os catalisadores dos movimentos nos preços dos ativos financeiros locais. A quase estabilidade do IGP-M de março (0,01%) abaixo da mediana das expectativas do mercado (0,05%) e a queda de 0,7% nas vendas do varejo de janerio reforçam as apostas de recuperação lenta e gradual da economia brasileira.

Bolsa: a sequência de seis pregões consecutivos de alta do Ibovespa devem abrir margem para que os investidores locais realizem lucro diante dos indicadores de atividade ainda fracos e do anúncio de contigenciamento do governo federal.
Juros: a agenda de indicadores econômicos nacionais mostrando a fraqueza da economia associado ao contigenciamento do governo federal devem impor queda da estrutura à termo de juros no dia.
Dólar: os movimentos laterais lá fora devem direcionar as atenções dos players locais para os números da atividade doméstica mostrando a debilidade da recuperação da economia. Nesse sentido, o dólar deve apresentar valorização ante ao real na sessão de negócios de hoje.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.