Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 29/11/2019

Brasília, 29 de novembro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: Em meio a volta parcial dos negócios em Wall Street após o feriado de ontem, os agentes financeiros operam com variações contidas. Os temores com uma eventual retaliação chinesa à decisão de Donald Trump, que sancionou na quarta-feira a legislação que apoia os manifestantes em Hong Kong. No momento, bolsa europeias e futuros de bolsas de Nova Iorque sobem, ao passo que as commoditites caem. O dólar valoriza frente as moedas internacionais..

Interno: A revisão para dos números de exportações pela Secretaria de Comércio Exterior nesta quinta-feira ajudou a descomprimir a taxa de câmbio doméstica. Para hoje a formação de Ptax (taxa de câmbio utilizada para encerrar contratos de dólar futuro) e o ambiente externo ligeiramente ruim influenciará a paridade. No âmbito judicial, o STF terminou a votação acerca do compartilhamento de dados da Receita com o Ministério Público e a Polícia Federal por um placar favorável a esse entendimento por 8 votos a 3. Os agentes ficam de olho nas implicações dessa decisão sobre o caso “Queiroz” ex-assessor do filho do presidente Flávio Bolsonaro. Na agenda, a perspectiva de queda marginal da taxa de desemprego de 11,8% para 11,6% será o destaque.

Bolsa: A cautela externa com as incertezas comerciais e pressão no câmbio doméstico (tira competitividade das empresas e encarece os produtos para o consumidor final) tendem a impor queda para o Ibovespa.
Juros: A manutenção da alta do dólar frente as divisas externas e sinais de melhora da atividade nacional ajudam no viés de alta dos juros futuros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: As incertezas comerciais entre EUA e China e fatores técnicos (formação de Ptax - taxa de câmbio para encerrar contratos de dólar futuro) tendem a impor queda do real ante a moeda norte-americana.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.