Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 29/08/2017

Brasília, 29 de agosto de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: o nervosismo volta a dominar os mercados internacionais nesta manhã, após o sobrevoo pelo Japão do míssil lançado pela Coreia do Norte ontem no fim do dia. Tal provocação aumenta as tensões geopolíticas e intensifica a aversão ao risco pelos investidores. Nesse sentido, bolsas europeias, commodities e Treasuries caem, enquanto do dólar ganha ante as moedas emergentes.

Interno: a retomada das votações de temas econômicos (TLP, metas fiscais, Refis etc) serão monitorados pelos operadores nacionais diante da mudança temporária da presidência da Câmara. Quanto a reforma da Previdência, as especulações são de que a aprovação da PEC deve ocorrer apenas no próximo ano.

Bolsa: o retorno das tensões geopolíticas entre Coreia do Norte e EUA ditam o rumo dos mercados acionários que operam em território negativo. O Ibovespa tende a aproveitar a situação para realizar parte dos lucros e deve usar também a queda das commodities como fator principal.
Juros: o exterior na defensiva por causa das preocupações com a Coreia do Norte devem influenciar os negócios, antes da votação da TLP no plenário da Câmara. No entanto, a mudança de perspectiva com relação a taxa Selic para o fim do ano, pelo mercado, ainda reverbera e tende a manter o viés de baixa da estrutura à termo de juros.
Dólar: cautela externa diante do lançamento de um Míssil - que sobrevoou o território japonês - pela Coreia do Norte guia os negócios e força a valorização do dólar ante as moedas emergentes. Assim, o real deve depreciar frente a divisa norte-americana no pregão de hoje.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.