Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 29/01/2019

Brasília, 29 de janeiro de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os mercados amanhecem mais amistosos, apesar das novas tensões envolvendo EUA e China. O Departamento de Justiça americano acusou a gigante chinesa de equipamentos de telecomunicações Huawei de roubo de tecnologia e violação de sanções comerciais. Essa acusação veio dois dias antes das duas potências começarem uma nova rodada de discussões comerciais em Washington. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Nova Iorque, commodities sobem, enquanto o dólar cede frente a maioria das moedas externas.

Interno: a Polícia Federal cumpre cinco mandados de prisão temporária pela trajédia de Brumadinho, sendo que dois engenheiros que atestaram a segurança da barragem já foram presos nesta manhã. Ontem à noite a Fitch rebaixo o rating da Vale e advogados de investidores nos EUA informaram que moverão uma ação coletiva contra a companhia. Ademais, há expectativas em torno do início dos trabalhos no Congresso, na sexta, em especial as eleições para a presidência das casas. Na agenda, os dados de crédito nacional de dezembro será o destaque.

Bolsa: o ambiente externo melhor com alta das commodities e das bolsas europeias conjugado com a forte perda do Ibovespa ontem (motiva a compra de papéis que ficaram mais baratos) devem ajudar o índice acionário paulista a subir no dia. Os papéis da Vale ainda devem operar sob pressão.
Juros: a baixa do dólar ante a maioria das moedas externas e expectativas com as eleições na Câmara e no Senado deixam o viés de baixa para os juros futuros (queda, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: a melhora da conjuntura internacional será contrabalançada pela formação de Ptax (taxa de câmbio utilizada para fechar contratos de dólar futuro). Além disso, a perspectiva de eleições para o Congresso, especialmente para o Senado, devem ajudar o real frente ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.