Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 28/12/2018

Brasília, 28 de dezembro de 2018

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: sob o argumento de que o Ministério de Comércio chinês anunciou que autoridades da China e Estados Unidos terão uma encontro para discussões sobre comércio em janeiro, investidores proporcionam correção de preços dos ativos financeiros internacionais. A liquidez reduzida dos mercados ajuda a provocar volatilidade e reversão de preços de forma intensa e rápida. Contudo, permanece os mesmos focos de apreensão tais como: preocupações com o desempenho da economia global, tensões comerciais, impasses políticos nos EUA (paralisação parcial do governo) e saída do Reino Unido da União Europeia. Por ora, bolsas europeias, futuros de bolsas de Wall Street, commodities e petróleo sobem, enquanto o dólar cede ante a maioria das divisas externas.

Interno: o clima lá fora mais favorável e expectativa renovada de avanço da reforma da previdência tendem a proporcionar um fechamento positivo dos mercados em 2018. Declarações otimistas do futuro vice-presidente, general Hamilton Mourão, de que a reforma da Previdência será prioridade do novo governo no primeiro semestre de 2019 dá o ânimo aos investidores locais. No calendário, números das contas públicas, a ser divulgado pelo Banco Central, taxa de desemprego com expectativas de melhora de patamar para 11,5% e deflação de 1,08% do IGP-M serão os destaques.

Bolsa: o ambiente internacional positivo e perspectivas renovadas em torno da reforma da Previdência brasileira tendem a impulsionar o Ibovespa no último pregão do ano.
Juros: a queda do dólar frente a maioria das divisas externas, deflação do IGP-M e perspectivas de andamento da reforma da Previdência devem ajudar o viés de queda dos juros futuros (queda, no dia, nos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: a conjuntura financeira externa positiva e expectativa favorável em torno da reforma da Previdência nacional tendem a contribuir para a apreciação do real frente ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.