Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 28/12/2017

Brasília, 28 de dezembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: em dia de agenda fraca, investidores operam em clima de fim de ano com baixo volume e liquidez. As principais bolsas operam sem forças nesta manhã. No câmbio, o dólar perde força ante a maioria das moedas internacionais, enquanto petróleo e metais sobem. Analistas estimam que os setores industriais e bancários tendem a ganhar valor no próximo ano por conta da perspectiva de crescimento econômico global mais elevado.

Interno: na última sessão do ano nos mercados locais, persiste a cautela com uma possível decisão da S&P sobre o rating brasileiro e com incertezas sobre a reforma da Previdência. Por outro lado, a maioria dos indicadores econômicos mostrando recuperação sustenta algum viés positivo para os ativos financeiros locais. Na agenda de indicadores, a alta de 0,89% do IGP-M de dezembro, próximo à mediana das expectativas do mercado (0,93%), e perspectivas de um déficit de R$ 6 bilhões do resultado do Setor Público consolidado ajudam a mexer com o ânimo dos investidores.

Bolsa: sem tendência definida lá fora por conta de agenda pouco movimentada, o Ibovespa deve aproveitar a ausência de notícias relevantes e operar ligeiramente no positivo na sessão regular do último dia útil do ano.
Juros: a curva de juros deve apresentar movimentos laterais nesta quinta, mesmo com a alta do IGP-M registrado nesta abertura. As atenções dos investidores devem se concentrar no resultado do Setor Público consolidado que tende a registrar um déficit menor. Ademais, a baixa liquidez e volume de negócios tendem a reforça a tendência para o dia.
Dólar: em mais uma abertura de fraqueza do dólar no exterior diante de uma agenda esvaziada e da baixa liquidez devem limitar os negócios por aqui também. Vale lembrar que a cautela com a decisão da S&P sobre a nota de rating brasileiro segue no foco. Assim, espera-se ligeira apreciação do Real frente ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.