Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 28/11/2017

Brasília, 28 de novembro de 2017

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: os debates em relação a reforma tributária nos EUA com perspectivas de intensificação e sabatina de Jerome Powell em comitê do Senado, visando aprovação de seu nome para comandar o Fed, a partir de fevereiro do ano que vem, direcionam as praças financeiras internacionais. Ademais, a OCDE revisou para cima as projeções de crescimento nas principais regiões em 2017 e 2018. Por ora, bolsa europeias trabalham em alta, enquanto as commodities caem. No câmbio, o dólar ganha ante ao euro, libra e iene, mas cede as moedas emergentes.

Interno: sinalizações de que a reforma da Previdência pode não ser votada este ano, conforme fala do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, traz preocupaçoes aos investidores. Na agenda de indicadores, a recuperação do índice de confiança do consumidor e estimativas de superávit primário do governo central servem de contraponto no que tange as perspectivas da reforma da Previdência.

Bolsa: a queda das commodites e dúvidas quanto ao prazo de votação da reforma da Previdência devem impor perdas para os papéis domésticos. A agenda de indicadores local pode limitar o movimento do Ibovespa.
Juros: números da economia mostrando dados positivos (confiança da consumidor e resultados fiscais) e sabatina de Jerome Powell para a presidência do Fed que apresenta uma visão mais dura na condução da política monetária nos EUA devem pressionar de forma altista a curva de juros de médio o longo prazo. No entanto, os prêmios dos DIs mais curtos tendem a operar na volatilidade depois que a Aneel resolveu manter a bandeira tarifária patamar 1 nas contas de luz.
Dólar: a sabatina no Senado norte-americano de Jerome Powell para a presidência do Fed deve valorizar o dólar ante as moedas internacionais. Além disso, perspectivas de indicadores melhores da maior economia do mundo corrobora essa perspectiva. Assim, o real deve ceder ante ao dólar.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores.