Boletim de Abertura

Abertura de Mercado – 28/08/2019

Brasília, 28 de agosto de 2019

NOTAS ECONÔMICAS — Abertura dos Mercados

Ambiente Financeiro:

Externo: O clima segue apreensivo com os juros dos EUA de prazos de 2 e 10 anos em patamares que sinalizam recessão no horizonte. A insegurança com os rumos das tensões comerciais entre EUA e China e seus efeitos contracionistas para a economia global mantém elevada aversão ao risco. Por ora, bolsas europeias e futuros de bolsas de Nova Iorque caem, ao passo que o dólar ganha valor ante a maioria das divisas internacionais. As commodities e o Petróleo sobem por conta de ajuste de preços.

Interno: Os ruídos políticos originados do Palácio do Planalto, que culminou no episódio ambiental na última semana, ainda prejudica os preços dos ativos locais e pressiona a taxa de câmbio brasileira. A preocupação dos agentes econômicos refere-se ao risco de uma nova rodada de instabilidade política com implicações sobre a confiança de famílias e empresas na economia brasileira.

Bolsa: O aumento do risco de recessão na economia dos EUA aliado as incertezas com os rumos das tensões comerciais entre norte-americanos e chineses pesam no humor dos investidores. Ademais, os ruídos políticos interno reforçam o viés de baixa do Ibovespa no dia, mesmo com a alta das commodities.
Juros: O fortalecimento do dólar frente as moedas externas (gera pressão na inflação no curto prazo) e incertezas políticas no país tendem a impor alta da curva de juros (aumento, no dia, dos custos de captação e aplicação dos bancos).
Dólar: A piora da conjuntura externa em função da possibilidade de recessão nos EUA derivado da escalada protecionista de americanos e chineses devem pressionar mais uma vez a taxa de câmbio local. O anúncio pelo Bacen de leilão de linha de dólar e venda da moeda americana no mercado à vista pode limitar o movimento de alta da divisa estadunidense.

Esta publicação foi produzida pela GEREI – Gerência de Relações com Investidores, e tem caráter primordialmente informativo. As opiniões e informações contidas neste relatório são estimativas referentes à data do informativo e foram elaboradas com base em dados de fontes, em princípio, confiáveis e de boa-fé, porém, não há nenhuma garantia expressa ou implícita, sobre sua exatidão. Assim, a DIRFI/GEREI não se responsabiliza por qualquer risco, perda direta ou indireta que seja consequência de imprecisão contida no relatório ou da utilização de seu conteúdo, bem como não configura qualquer garantia de rentabilidade. Todas as perspectivas de mercado derivam de nosso julgamento e podem ser alteradas tempestivamente sem aviso prévio, por conta de mudanças que possam afetar as estimativas fornecidas pela área. Ressaltamos que este trabalho não constitui nenhuma oferta de venda ou solicitação para compra de quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Elaboração: DIRFI/GEREI. Fontes: AE Broadcast, BACEN, IBGE, FGV e LCA Consultores